O ANO EM QUE VIVI DE LITERATURA