ESCREVER FICÇÃO NÃO É BICHO PAPÃO